Nutrição

 Vitamina A- Fortalece a visão, aumenta a resistência às infecções respiratórias, mantém saudável a pele, cabelos e unhas, ajuda a remover as “manchas de velhice” auxilia na cicatrização rápida de ferimentos, na prevenção de doenças e promove o crescimento ósseo. Vitamina essencial ao crescimento, encontrada nas gorduras animais, na manteiga, no óleo de fígado de bacalhau. A provitamina A é o agente livre,em frutas e hortaliças, conhecido também como beta caroteno.Beta caroteno-Aparece em lulas, mamão, damasco, abóbora e na cenoura.

A vitamina A contribui para fortalecer o sistema imunológico, melhora a vista e ajuda a proteger contra o câncer de pulmão, laringe, esôfago e bexiga.Evita várias doenças de pele e combate os efeitos do envelhecimento.

Vitamina B- Conjunto de vitaminas com características semelhantes, mas atuando de forma específica. São sinérgicas, ou seja, uma sempre auxilia a outra. Auxiliam no crescimento, auxilia na digestão, melhora a atividade mental, ajuda a manter a pele, unhas e cabelos mais saudáveis. São encontrados em alimentos de origem animal e em pequenas quantidades nos vegetais.As folhas verdes, brotos, principalmente da alfafa, e o germe de trigo são grandes fornecedores de complexo B.

Vitamina C- Age como antisséptico, protegendo os tecidos, juntas e ligamentos contra inflamações. Auxilia a cicatrizar ferimentos, formar o colágeno, acelera a cicatrização de cirurgias, aftas e sangramentos gengivais e aumenta a resistência do organismo. Encontrados em vegetais folhosos(brócolis, couve-flor), tomate, pimentão verde e vermelho, laranja, limão, morango, maça, acerola, goiaba.

Vitamina D- É produzida pela pele quando exposta ao sol. Auxilia o organismo a usar adequadamente o cálcio e o fósforo, a ter ossos e dentes fortes, auxilia o organismo a absorver a vitamina A e também auxilia no tratamento da conjutivite. A falta dela contribui para o reumatismo e as fraturas fáceis de ossos nas pessoas mais velhas, em decorrência de uma doença chamada osteoporose. Fontes em óleo de fígado de bacalhau, margarina, manteiga, peixes, etc.

Vitamina E- Como um antioxidante, a vitamina E previne distúrbios cardiovasculares e neurológicos. Vitamina essencial para a reprodução, existente nos legumes verdes, sementes e cereais(nozes, avelã e castanhas),  ovo,  óleos vegetais, beterraba, cenoura, salsão, assim como em outras hortaliças.

Cálcio-Um dos sais minerais mais necessários, é muito importante para as crianças em crescimento e para as mulheres.Alimentos ricos em cálcio: leite, queijo, verduras como o brócolis e couve, o gergilim, sementes de girassol, algas marinhas, amêndoas, levedo de cerveja.

Zinco-Mineral que fortalece o sistema imunológico e previne dificuldade de visão relacionada a velhice e mantem os sentidos de olfato e paladar em boas condições.Está nas ostras, carnes, cereais integrais(milho, aveia e o centeio), cenoura, salsinha, gengibre, maça.

Selênio-Mineral que reduz inflamações causadas pela artrite e aumento da fertilidade.Mineral presente na castanha-do-pará,  aveia, alho, repolho, brócolis, arroz integral e carnes.

Fibras-O consumo de fibras auxilia o funcionamento do intestino previnindo câncer e outras doenças do cólon. Alimentos ricos em fibras: frutas (banana, pera, morango,damasco, ameixa, figo, damasco, uva, maça, laranja), batatas, arroz integral, legumes, cereais como feijão e lentilha.

Ômega-3-Carne nos nadarores de águas frias e profundas, como salmão, sardinha e arenque e nos óleos de peixe.Já as nozes e os óleos de linhaça e canola concentram ácido alfalinolênico, outro tipo de ômega-3, que é convertido em EPA e DHA dentro do organismo.EPA e DHA-versão do ômega-3,são melhores porque já vem prontos para o corpo aproveitar. A sardinha é um ds peixes mais ricos em ômega-3.

 

Fontes:

Jay Kordich-O Poder dos Sucos-Editora Àtica-São Paulo-1992

Revista Saúde/out de 2012.

 

-O alho ajuda a prevenir a formação de coágulos sanguíneos, afinando o sangue e fazendo-o correr melhor pelas artérias.

PARA QUEM DIZ QUE PIMENTA FAZ MAL!!!

pimentas1.jpg


 

pimt6.jpg


 

Maispimentas.jpg

  Pimenta (Piri-piri)  Quem coloca a pimenta no dia-a-dia está levando, além de tempero,  uma série de medicamentos naturais: analgésico, antiinflamatório,  xarope, vitaminas, benefícios que os povos primitivos descobriram  há milhares de anos que agora estão sendo comprovados pela ciência.

A pimenta do reino faz bem à saúde e seu consumo é essencial para  quem tem enxaqueca. Essa afirmação pode cair como uma surpresa para  muitas pessoas que, até hoje, acham que o condimento ardido deve ser  evitado. A pimenta traz consigo alguns mitos, como por exemplo o de que  provoca gastrite, úlcera, pressão alta e até hemorróidas.. Nada disso  é verdade. Por incrível que pareça, as pesquisas científicas mostram  justamente o oposto! A substância química que dá à pimenta o seu caráter ardido é  exatamente aquela que possui as propriedades benéficas à saúde.

No  caso da pimenta-do-reino, o nome da substância é piperina. Na  pimenta vermelha, é a capsaicina. Surpresa! Elas provocam a liberação de endorfinas - verdadeiras  morfinas internas, analgésicos naturais  extremamente potentes que o  nosso cérebro fabrica! O mecanismo é simples: Assim que você ingere  um alimento apimentado, a capsaicina ou a piperina ativam receptores  sensíveis na língua e na boca. Esses receptores transmitem ao  cérebro uma mensagem primitiva e genérica, de que a sua boca estaria  pegando fogo. Tal informação, gera, imediatamente, uma resposta do  cérebro no sentido de salvá-lo desse fogo: você começa a salivar,  sua face transpira e seu nariz fica úmido, tudo isso no intuito de  refrescá-lo. Além disso, embora a pimenta não tenha provocado nenhum  dano físico real, seu cérebro, enganado pela informação que sua boca  estava pegando fogo, inicia, de pronto, a fabricação de endorfinas,  que permanecem um bom tempo no seu organismo, provocando uma  sensação de bem-estar, uma euforia, um tipo de barato, um estado  alterado de consciência muito agradável, causado pelo verdadeiro banho de  morfina interna do cérebro. E tudo isso sem nenhuma gota de álcool! 

Quanto mais ardida a pimenta, mais endorfina é produzida! E quanto  mais endorfina, menos dor e menos enxaqueca. E tem mais: as substâncias picantes das pimentas (capsaicina e  piperina) melhoram a digestão, estimulando as secreções do estômago.  Possuem efeito carminativo (antiflatulência). Estimulam a circulação  no estômago, favorecendo a cicatrização de feridas (úlceras), desde  que, é claro, outras medidas alimentares e de estilo de vida sejam  aplicadas conjuntamente. Existem cada vez mais estudos demonstrando a potente ação  antioxidante (antienvelhecimento) da capsaicina e piperina. Pesquisadores do mundo todo não param de descobrir que a pimenta,  tanto do gênero piper (pimenta-do-reino) como do capsicum (pimenta  vermelha), tem qualidades farmacológicas importantes. Além dos princípios ativos capsaicina e piperina, o condimento é  muito rico em vitaminas A, E e C, ácido fólico, zinco e potássio.  Tem, por isso, fortes propriedades antioxidantes e protetores do DNA  celular. Também contém bioflavonóides, pigmentos vegetais que  previnem o câncer.

Graças a essas vantagens, a planta já está classificada como  alimento funcional, o que significa que, além de seus nutrientes,  possui componentes que promovem e preservam a saúde. Hoje ela é  usada como matéria-prima para vários remédios que aliviam dores  musculares e reumatismo, desordens gastrintestinais e na prevenção  de arteriosclerose. Apesar disso, muitas pessoas ainda têm receio de consumi-la, pois  acreditam que possa causar mais mal do que bem. Se você é uma delas,  saiba que diversos estudos recentes têm revelado que a pimenta não é  um veneno nem mesmo para quem tem hemorróidas, gastrite ou hipertensão


DOENÇAS QUE A PIMENTA CURA E PREVINE

Baixa imunidade - A pimenta tem sido aplicada em diversas partes do  mundo no combate à aids com resultados promissores.

Câncer - Pesquisas nos Estados Unidos apontam a capacidade da  capsaicina de inibir o crescimento de células de tumor maligno na  próstata, sem causar toxicidade. Outro grupo de cientistas tratou  seres humanos portadores de tumores pancreáticos malignos com doses  desse mesmo princípio ativo. Depois de algum tempo constataram que  houve redução de 50% dos tumores, sem afetação das células  pancreáticas saudáveis ou efeitos colaterais. Já em Taiwan os  médicos observaram a morte de células cancerosas do esôfago.

Depressão - A ingestão da iguaria aumenta a liberação de noradrenalina e adrenalina, responsáveis pelo nosso estado de  alerta, que está associado tb à melhora do ânimo em pessoas  deprimidas.

Enxaqueca - Provoca a liberação de endorfinas, analgésicos naturais  potentes, que atenuam a dor.

Esquistossomose - A cubebina, extraída de um tipo de pimenta  asiática, foi usada em uma substância semi-sintética por cientistas  da Universidade de Franca e da Universidade de São Paulo. Depois do  tratamento (que tem baixa toxicidade e, por isso, é mais seguro), a  doença em cobaias foi eliminada.

Feridas abertas - É anti-séptica, analgésica, cicatrizante e  anti-hemorrágica quando o seu pó é colocado  diretamente sobre a pele  machucada.   Gripes e resfriados - Tanto para o tratamento quanto para a  prevenção dessas doenças, é comum recomendar a ingestão de uma  pequena pimenta malagueta por dia, como se fosse uma pílula.   Hemorróidas - A capsaicina tem poder cicatrizante e já existem  remédios com pimenta para uso tópico.

Infecções - O alimento combate as bactérias, já que tem poder  bacteriostático e bactericida, e não prejudica o sistema de defesa.  Pelo contrário, até estimula a recuperação imunológica.

Males do coração - A pimenta caiena tem sido apontada como capaz de  interromper um ataque cardíaco em 30 segundos.. Ela contém  componentes anticoagulantes que ajudam na desobstrução dos vasos  sanguíneos e ativam a circulação arterial.

Obesidade - Consumida nas refeições, ela estimula o organismo a  diminuir o apetite nas seguintes. Um estudo revelou que a pimenta  derrete os estoques de energia acumulados em forma de gordura  corporal. Além disso, aumenta a temperatura (termogênese) e, para  dissipá-la, o organismo gasta mais calorias. As pesquisas indicam  que cada grama queima 45 calorias.

Pressão alta - Como tem propriedades vasodilatadoras, ajuda a  regularizar a pressão arterial.

 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

   

 

 

 
 
 
   

 

 






 

 

--
Ana Mary M. Leitão

Md - Psiquiatra


 

-A cebola combate a formação de plaquetas após o consumo de alimentos ricos em gorduras, além de ter efeitos anti-hipertensivos e fazer baixar o colesterol.

 

Para maiores informações sobre nutrição acesse:

http://usinadosabor.blogspot.com.br